A SIMPLICIDADE



Por que insistimos em falar e escrever difícil? Por que não somos claros e objetivos, já que o importante, na comunicação, é que as pessoas entendam a mensagem que está sendo transmitida?

No programa “Não Complica o que é Fácil, em 5 Min”, o novo Secretário de Educação de Florianópolis, Prof. Dr. Maurício Fernandes Pereira, relaciona o tema com a expressão “ser humano”. Complicar é desumano.

Simplicidade, também foi o assunto do programa, deste dia 08.02 do Prof. Carlos Martendal, em “Palavra Viva”, na Rádio Cultura AM 1500, do qual colhemos subsídios para esta mensagem.

Ensina o dicionário que “simplicidade é a ausência de complicação, qualidade do que é simples, caráter daquele que é sincero, franqueza, pureza”.

Até o salmista garante: “O Senhor protege os simples” (Sl 116,6).

No livro de Clóvis Bovo, “365 Dias – 365 Histórias”, publicado pela Editora Santuário, encontramos lições práticas sobre o importante assunto.

Georg Henrik von Wright, filósofo finlandês que morreu em 2003, dizia: “O ensinamento dos grandes homens tem, com frequência, uma simplicidade e uma naturalidade que faz o que é difícil parecer fácil de aprender”.

Recentemente, o Papa Francisco, disse-nos: “O estilo de Deus é a simplicidade; inútil procurá-lo no espetáculo mundano”.

E o Padre Gabriel de Santa Maria Madalena escreve, em “Intimidade Divina”: “Deus é simples; o homem, ao contrário, é muito complicado”.

Até Johannes Kepler, astrônomo e matemático alemão, falecido em 1630, afirmava: “A natureza ama a simpli