Divino Patrimônio de Santa Catarina


A Festa do Divino realizada pela IDES no Centro de Florianópolis desde 1776

é Patrimônio Cultural Imaterial do Estado


(Foto de 1900, imagem mais antiga pertencente aos arquivos da IDES)

Em janeiro, a Irmandade do Divino Espírito Santo recebeu uma das suas melhores notícias ao longo dos seus 244 anos de existência. O Conselho Estadual de Cultura, após análise do processo SGPe: FCC 1367/2017, realizada nas sessões dos dias 05 e 12 de dezembro, emitiu Parecer onde, “através das provas cabais contidas nos autos”, recomendou o registro da Festa do Divino Espírito Santo da IDES como patrimônio imaterial catarinense. O registro foi concedido definitivamente após o prazo para manifestações em contrário, que foi até o dia 27 de dezembro de 2018. Como não houve nenhum questionamento, Santa Carina possui, agora, dois eventos considerados Patrimônio Imaterial. O primeiro foi a Procissão de Nosso Senhor dos Passos e, agora, a Festa do Divino da Irmandade do Divino Espírito Santo.


(Festa do Divino 1926)

A decisão foi unânime, sempre ressaltando o “profundo embasamento originário de uma pesquisa histórica, mostrando que a Irmandade do Divino Espírito Santo de Florianópolis foi instituída em 1773 e reflete as tradições da cultura dos povoadores açorianos da Ilha de Santa Catarina”. Além disso, é destacado que “a manifestação ocorre não apenas em Florianópolis, mas também em dezenas de outros municípios catarinenses, expondo seu caráter relevante para a cultura de nosso Estado”.