top of page

Liderança Comunitária e a Empatia Social: as ações da Econsciente

Autores:

Educadores do Formação Aprendiz Murilo Dinardi e Indianara Silva


Os jovens participantes dos cursos de Aprendizagem do Núcleo de Formação e Trabalho da IDES, concluíram recentemente as suas ações no projeto Liderança Comunitária, desenvolvido pelo SESC em parceria com a Junior Achievement.



Os 23 jovens realizavam encontros semanais chamados de “jornadas”, todas as segundas-feiras das 8 horas às 12 horas. Tendo início no dia 21 de maio e seu fim marcado pela a formatura dos aprendizes no dia 13 de agosto.

A proposta do projeto trabalha através da análise sobre a condição local e atual da comunidade, detectando pontos que podem ser melhorados e estruturam uma organização comunitária para elaborarem ações de serviço comunitário e desenvolvem reflexões e iniciativas de liderança.

No caso da Econsciente, organização criada pelos aprendizes durante as jornadas, notou-se uma demanda de certo grupo social que, por muitas vezes, se encontra omisso pelos ambientes de informações atuais: a aldeia indígena Intanhaem, localizada no Morro da Palha em Biguaçu/SC.

Com palestras da Associação Litros de Luz, explicando e trabalhando as questões de sustentabilidade e das energias renováveis, e FLORAM, que tratou sobre a flora nativa catarinense e árvores invasoras presentes nela, os aprendizes estavam mais do que preparados para exercerem a sua empatia social e liderança comunitária.



Após receberem as necessidades repassadas pelo cacique da aldeia Intanhaem, os jovens iniciaram a arrecadação de agasalhos e alimentos não perecíveis na instituição, com caixas de coletas na recepção da IDES e divulgação no Girassol (Creche da IDES). Além disso, foi criada a Exposição de Filmes da Liderança Comunitária, onde um de três filmes pré-selecionados era exibido através da votação do público e a doação de um quilo de alimento não perecível.

O surpreendente resultado de 145 alimentos diversos, 1041 peças de roupas, 67 pares de sapato, 33 mudas de árvores frutíferas além do composto (adubo), totalizando R$11.843,20 (Onze mil e oitocentos e quarenta e três reais com vinte centavos), demonstrou sucesso nas atividades executadas pela Econsciente.



A entrega destes itens ocorreu no dia 21 de julho, onde os jovens tiveram a oportunidade de conhecer a cultura e tradição da aldeia. Como houve uma grande arrecadação de agasalhos, o projeto atendeu também os indígenas que estão vivendo no terminal desativado do Saco dos Limões, que fazem parte da aldeia Kaingang. Ao total a Econsciente beneficiou 150 indígenas de 2 aldeias.

Em apenas três meses, os jovens aprendizes abraçaram a oportunidade de entender o seu lugar e papel em sua comunidade e sociedade, estimulando o pensamento ético social, o sentimento empático e as ações comunitárias. Um corpo formado pelo pensar, sentir e agir coletivo.

Também vale ressaltar o desenvolvimento pessoal da responsabilidade, autonomia e iniciativa, notando ser possível ter consciência de sua situação, entender as suas vontades e desejos e provocar-se para alcançar os seus objetivos, tendo atitude e resiliência.


Dos inúmeros relatos obtidos ao fim do projeto, muitos dos aprendizes citaram a capacidade adquirida por eles de conseguirem fazer o bem sem pensar num retorno material, sendo movidos apenas pela vontade de querer ver o próximo em situações melhores, felizes. Tal capacidade entende a nossa vivência num mesmo espaço e que todos nós somos livres. Portanto, podemos refletir e concluir que nossa convivência pode mudar. Então, por que não mudar para melhor? Esse questionamento foi usado como motor primário dos jovens líderes comunitários da Econsciente.



130 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page