Tecnologia é para meninas sim!

Autora Carine Pinto


Diante de um mercado tecnológico predominantemente masculino, existem programas que incentivam e capacitam meninas na área tecnológica. Um deles é o Technovation Challenge, que vem com esse diferencial mostrando que as meninas também podem trabalhar e conquistar essa área.


O Technovation Challenge - nome que é a junção de tecnologia + inovação -, é uma competição que ocorre mundialmente no qual equipes de até 5 meninas entre 10 e 18 anos desenvolvem aplicativos de celular que sejam úteis para a comunidade ou resolvam alguma demanda. As competições duram praticamente todo o ano, começando dentro das cidades, sendo que as melhores irão competir com todo o estado e as 10 finalistas com todo o seu país. As ganhadoras terão uma viagem de 10 dias na Califórnia conhecendo as maiores empresas da internet (Google, Facebook e outras), depois concorrem mundialmente a um prêmio de 10 mil dólares, mais bolsa de estudos em escola de programação, dentre outros prêmios. As inscrições irão até 20 de março, mas a preparação das meninas com Workshops iniciou dia 16/02.

O programa foi apresentado para nós como uma oportunidade de empoderamento feminino, demonstrando o quanto as mulheres são capazes. Três educandas do NAE – Núcleo Arte Educação estão participando e criando um aplicativo de auxílio a pessoas que possuem ou querem ajudar quem tem depressão. As educandas conheceram o Technovation Challenge por meio da Oficina de Mídia e Cidadania, no qual a educadora explicou e incentivou que as mesmas participassem, as levou até o SEBRAE e facilitou no processo de inscrição, disponibilizando assim mais oportunidades de crescimento.

Uma vez que as mulheres possuem uma criatividade bastante aguçada e são mais detalhistas no quesito criação, principalmente para satisfazer as expectativas dos outros, trabalhar com programação é uma tarefa fácil, desmistificando a imagem de que tecnologia é só para homens. As mulheres estão conquistando todas as áreas, várias outras profissões que antes eram quase “exclusivas” para os homens. Já vemos mulheres trabalhando e fazendo muito bem feito o seu papel, como é o caso das engenharias e até mesmo na construção civil. Assim também, as meninas estão se espelhando em mulheres desbravadoras e buscando as áreas antes masculinas.

<