IMG_5097.JPG

A Festa do Divino Espírito Santo teve sua origem em Portugal, na Vila de Alenquer, em 1296, por iniciativa da Rainha Santa Isabel de Aragão, esposa do Rei D. Dinis.

O culto em louvor ao Divino Espírito Santo, celebrado principalmente na Ilha de Santa Catarina e nos municípios litorâneos, é uma tradição secular trazida pelos açorianos que chegaram, na então Vila de Nossa Senhora do Desterro, em 06.01..1748. "O açoriano transportou no coração a religiosidade, a fé e o culto ao Divino Espírito Santo. Uma tradição secular que representa, hoje, a manifestação mais significativa da cultura popular catarinense" (Jornal da Arquidiocese de Florianópolis, edição de maio/2018).

Nesta Irmandade, é  conhecida por DIVINA FESTA  e ela remonta a 1776, Através das chamadas "barraquinhas", ela tem sido um pilar de sustentação financeira para o desenvolvimento dos programas voltados a cerca de 800 crianças e adolescentes da Grande Florianópolis.

Outro objetivo prioritário da IDES  é divulgar e incentivar a devoção ao Divino Espírito Santo, mantendo viva essa tradição de religiosidade e fé, hoje presente em quatorze comunidades de Florianópolis, cuja comemoração tem início com o Ciclo do Divino, antes de Pentecostes, e perdura até setembro de cada ano.

A Festa passa constantemente por significativas transformações, influenciadas  por critérios de qualidade, tecnologia,  beleza e cuidados gerais  com os detalhes, para que o resultado seja cada vez mais positivo.

Assim, o evento na versão atual, encontra receptividade e apoio da comunidade, cujas famílias, relembrando os velhos tempos, reúnem-se na Praça para celebrar a Festa de Pentecostes.

A partir de fevereiro de 2018, a Divina Festa da IDES foi considerada, pela Fundação Catarinense de Cultura, Patrimônio Cultural Imaterial deste Estado. Em maio do mesmo ano, o Município também reconheceu as Festas do Divino Patrimônio Cultural de Florianópolis.