Espiritualidade

NOTÍCIAS

 Apoie Projetos  Socioeducativos de Qualidade 

CLIQUE 

AQUI

Depoimento da Carine, Educadora do Formação Aprendiz na IDES

26-06-2019

A minha entrada no IDES foi algo muito direcionado por Deus, três colegas (não apenas uma pessoa, três) da instituição no qual eu trabalhava anteriormente enviaram pra mim através do WhatsApp o anuncio da vaga (Educadora de Mídia - NAE) no qual de imediato eu me candidatei, mas já havia me candidatado em outra instituição e estava marcada uma entrevista que não conseguir ir. Fui para entrevista da outra instituição outro dia e estava tudo certo pra começar a trabalhar lá, um dia antes de iniciar fiz a entrevista na IDES e falei que seria interessante conciliar as duas instituições pela questão salarial, porém os dias/horários não correspondiam. a resposta da IDES seria na quinta ou sexta, sendo que na quinta eu comecei a trabalhar na outra instituição que seu salário era melhor e já estava certo. Tem coisa que só Deus explica, trabalhei um dia na outra instituição e algo me dizia que ali não era o meu lugar, voltei pra casa triste, pois havia praticamente descartado a IDES com a impossibilidade de horário, mas sentia que seria um bom local de trabalho. Ao chegar em casa 17h25  conversei com meu esposo que ligaria para IDES e me colocaria a disposição para trabalhar somente lá independente do horário e salário. Terminei de falar e o telefone toca, era a coordenadora Michelle me perguntando qual era a minha disponibilidade de horário que teria se interessado no meu perfil para a vaga. Glorifiquei a Deus, pois ele sabe o que faz, fui contratada para trabalhar apenas 20h mas sempre tive a certeza de que ali era o meu lugar. Lutei para dar o meu melhor no período de três meses de experiência e na minha avaliação fui convidada a participar de um novo processo seletivo dentro da instituição (Orientadora de sala - NUFT) no qual irei trabalhar 40h, complementando a renda que para mim era a esperada, farei um trabalho que eu amo também que é ajudar adolescentes e jovens junto ao mercado de trabalho.

 

Sou feliz e grata a Deus por ter me direcionado a trabalhar em uma instituição séria e com valores e diferenciais nos quais os funcionários são vistos, valorizados e oportunizados a novas experiências e crescimento.

 

Continuarei dando o meu melhor pois sei que na IDES poderei ir além!

Feliz Páscoa

21-04-2019

"Que a semana santa seja um caminho para te levar ao bem, a atos melhores e à compaixão. Que hoje, dia da ressurreição de Cristo você possa entender o verdadeiro significado do amor, celebrando a paz com aqueles que te amam em vida e com quem morreu por ti e hoje está lá no céu olhando para você. Faça desse caso divino uma motivação para que você atraia somente coisas boas nos próximos dias do ano e da sua vida inteira".🕊

Dia de São Vicente de Paulo

27-09-2018

Hoje,  27 de setembro, comemora-se o Dia de São Vicente de Paulo. Talvez, nem todos saibam, mas São Vicente é o Patrono da Irmandade do Divino Espírito Santo e também dá nome à nossa casa de acolhimento. Entre seus feitos, consta uma das maiores obras de caridade do século XVII - um asilo para abrigar 40.000 crianças pobres - obra subsidiada pelo rei e pelos nobres do reino.

Abaixo, deixamos um trecho  do livro "Nos passos de São Vicente de Paulo", de Luiz Alexandre Solano Rossi, para reflexão.

"Vicente de Paulo nasceu no dia 24 de abril de 1581, num pequeno lugarejo chamado Pouy, no sul da França, numa região periférica e das mais pobres do reino. Era o terceiro de seis filhos – quatro rapazes e duas moças – de um casal de camponeses pobres: João e Bertranda Demoras. Sua vida de camponês marcará profundamente seu modo de ser e de viver, mesmo que tenha vivido no campo somente até os quinze anos. A vida era sofrida e de muito trabalho. Mas logo seus pais perceberam que o pequeno Vicente tinha qualidades fora do comum, e que seria possível encaminhá-lo para os estudos, assegurando dessa forma, os interesses de sobrevivência da família. A vida religiosa naquela época era o caminho por excelência para assegurar certa tranquilidade à família. Ao menos, pensavam, os padres estavam ao abrigo da fome e da pobreza.

 

Na periferia da sociedade e em meio à pobreza é que Deus foi buscar uma criança para ser santa. Deus nos surpreende constantemente. Afinal, somos acostumados a olhar com bons olhos somente para o que é central e bem localizado; pensamos que é no centro que residem as boas pessoas, e, de forma contrária, que da periferia só poderiam emergir as contradições, a violência e a pobreza. Pois foi, justamente no fim do mundo, desde o reverso da história, que Deus foi chamar aquele que deveria impactar não somente a igreja de sua época, mas também a sociedade.

 

Os pais de Vicente faziam planos para seu filho, desconhecendo os planos de Deus. Pensemos, por um instante, que é Deus quem guia nossas vidas. Ele é o Alfa e o Ômega: jamais os pais de Vicente poderiam imaginar que ali entre seus seis filhos se encontrasse aquele que deveria ser, em poucos anos, uma figura determinante na história da Igreja e da sociedade. É natural que pais façam planos para seus filhos. Faz parte das tarefas e preocupações de cada pai e mãe o futuro de seus filhos. Tudo muito natural, importante e necessário! Todavia, sempre é importante deixar a porta aberta para as surpresas de Deus, com seus planos formidáveis."

 

Aqui na IDES as voluntárias da IDES serviram a Sopa de São Vicente de Paulo, que é uma das tradições mais antigas da Irmandade em homenagem ao Dia de São Vicente.

LAR SÃO VICENTE DE PAULO DA IDES - 108 Anos de História e Acolhimento

08-09-2018

1 - Falecendo Dona Maria Francisca de Paula Braga, foi doada, por Testamento, à Paróquia Nossa Senhora do Desterro uma chácara situada à Rua Almirante Alvim, confinando com a Rua Sebastião Antônio Rodrigues Braga, atual Avenida Mauro Ramos, com a finalidade de ali ser construído um Asilo de Órfãs. A chácara, no então Bairro Mato Grosso, tinha uma área de 10.000 m².

 

2 - A IDES entabulou entendimentos com a Paróquia Nossa Senhora do Desterro, através do Padre Francisco Topp, e firmou o compromisso de, mediante o recebimento do referido terreno, nele construir a mencionada obra. O documento foi assinado em 6.02.1900, em provisão redigida pelo Padre Francisco Aulingh (Secretário do Bispado), e assinada pelo Bispo de Curitiba, Dom José de Camargo Barros, juntamente com o Provedor da IDES, Sr. Firmino Teotônio da Costa.

 

3 - A pedra fundamental foi lançada às 10 horas do dia 3 de maio de 1900, festa da Terra de  Vera Cruz ou Terra da Santa Cruz e quarto centenário do Descobrimento do Brasil, com procissão e Missa Solene. Estavam presentes o Governador Felipe Schmidt e todas as demais autoridades públicas e religiosas.

 

4 - A inauguração do Asilo deu-se a 8 de setembro de 1910, no dia da festividade da Natividade de Nossa Senhora. A denominação inicial era “Asilo Santa Catarina”.

 

5 - Nesse período, havia um outro orfanato, o Asilo de Órfãs São Vicente de Paulo, entidade sustentada pela Conferência Vicentina de São José, dirigido pela Congregação das Irmãs da Divina Providência, recém-chegadas da Alemanha. Decidiu-se, então, de comum acordo, em mudar o nome do Asilo que se fundara, adotando o nome de São Vicente de Paulo, padroeiro das obras de caridade da Igreja.

 

6 - Em 03 de outubro de 1909, foi concedida à Associação Irmão Joaquim a área de 1.140m², sendo 30 m de frente e 38 m de fundos, para a construção de um asilo de mendicidade.

 

7 - Em 1984, a Congregação da Divina Providência desligou-se da administração do Asilo, “por se sentir impossibilitada de continuar a suprir o Lar com seus recursos humanos”. Foram 74 anos de muita dedicação. A partir de então, passou a uma administração leiga provisionada pela IDES, como ocorre até os dias atuais.

 

A longevidade do Lar São Vicente de Paulo está associada à sua pedagogia do amor, ao compromisso com o Evangelho de Jesus.

Como a terra acolhe a semente e a faz germinar, o Senhor, nosso Deus de misericórdia, sempre acolhe o que lhe pedimos, com sinceridade de coração.

Vamos juntos dar glória ao Senhor e a seu nome fazer louvação.

 

Texto organizado pelo Ir. e Conselheiro Ademar Arcângelo Cirimbelli, em setembro de 2018.

Voluntariado, Sinônimo de Doação

28-08-2018

Neste dia 28 de agosto, comemoramos o Dia Nacional do Voluntariado (DNV). Foi instituído, em 1985, pela Lei federal nº 7.352.

Os Voluntários são peças fundamentais nas Organizações sem fins econômicos. Eles surgem para suprir algum tipo de necessidade. “Doam seu tempo e/ou sua habilidade em favor de determinada causa, sem nada receber em troca”. Muitas organizações sociais funcionam só com Voluntários. Estima-se que cerca de 35 milhões de brasileiros, com mais de 16 anos, fazem algum trabalho voluntário. Como formas de celebrar essa data, temos o Programa Nacional específico para voluntariado e os Prêmios “Viva Voluntário” e “ODS  Brasil”.

Recorremos à matéria publicada em Roma, através da Rádio Vaticano – RV, em janeiro de 2017, para recordar esse dia: “Faleceu, nesta quarta-feira, 04, aos 86 anos de idade, Padre Ney Brasil Pereira, único brasileiro a integrar a Pontifícia Comissão Bíblica, um grupo de vinte especialistas do mundo que se dedica ao estudo da Bíblia. O sacerdote estava internado no Imperial Hospital de Caridade, em Florianópolis (SC). Nascido em 04.12.1930, em São Francisco do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, padre Ney formou-se em Teologia, em Roma. Foi ordenado presbítero em 25.02.1956. No início dos anos 60, conseguiu uma bolsa para estudar música nos Estados Unidos. Dez anos depois, fez mestrado em Exegese, em Roma e, em 1973, retornou a Florianópolis. Na Capital de Santa Catarina, desempenhou importantes trabalhos ao longo de seu sacerdócio, onde comemorou o jubileu de diamante. Na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília, Padre Ney fez parte do Grupo de Reflexão de Música Litúrgica. Trechos de sua Entrevista: “Não se pode perder tempo” - Em suas passagens por Roma, Padre Ney sempre concedia entrevistas ao Programa Brasileiro. Em abril de 2012, em uma pausa de seu trabalho na Comissão Bíblica, conversou com a Rádio Vaticano (RV) e revelou que, ao lado de suas múltiplas atividades, também estava engajado na Pastoral Carcerária, visitando os detentos e dando assistência a seus familiares. “A visita aos presos é um ato, uma ação humana tão importante, que Jesus mesmo falou: ‘Eu estava preso e você me visitou. Maria, sua mãe, também nos ensinou a servir, com alegria, ao visitar sua prima Izabel, grávida de João Batista. Com ela, permaneceu três meses’. Eu faço isso com este espírito. Então eu consigo conciliar não só a atividade de docente, a de pesquisa, escrevo artigos, faço revisões, contribuo para a Bíblia da CNBB, desde 1974. É claro que, às vezes, dá um certo cansaço, por causa da multiplicidade de tarefas…”  Encerrou, afirmando: “Lembro-me, sempre, daquilo que dizia o querido Padre Libânio, jesuíta de MG, muito sábio… Ele dizia que o dia tem sempre 24 horas, não tem mais nem menos. Temos que saber administrá-las. Não se pode fazer mais horas! Mas, não se pode perder tempo…” 

 

A dedicação do Padre Ney Brasil à Pastoral Carcerária durou mais de quarenta anos:  de fevereiro de 1974, até sua morte, em janeiro de 2017. (Os pais do Padre Ney eram associados à Irmandade do Divino Espírito Santo – IDES).

Também, no seio da IDES, temos muitos Voluntários e Voluntárias que prestam serviços gratuitos há várias décadas. Agem, como escreve Rosi Coelho: “Doam amor, doam vida e continuam vivendo. Compartilham a vida e a multiplicam. É como ver um pedacinho do seu mundo mudar o mundo de alguém”. Estamos convictos de que só faz Voluntariado, só atua em ações de promoção de inclusão social e cidadania quem tem amor (incondicional) para dar e o faz com alegria.

           

Nossa admiração e nossa gratidão aos (às) abnegados (as) Voluntários (as) da IDES.

_____________________________________________________________________________

Texto organizado pelo ex Provedor da IDES, Ademar Arcângelo Cirimbelli, em agosto de 2018.

Nossa Senhora de Pentecostes

19-07-2018

Jesus, filho de Deus, nasceu de Maria. Maria, Mãe de Deus, foi a primeira festa mariana da Igreja ocidental. Uma das verdades mais queridas do povo cristão: “Maria é verdadeira Mãe de Cristo, que é verdadeiro Filho de Deus”. É deste sublime e exclusivo privilégio que derivam todos os títulos que lhe atribuímos. Deus se fez carne por meio de Maria, começou a fazer parte de um povo, constituiu o centro da história. 


Paulo VI assinala a amplidão do serviço de Maria com palavras que têm eco sempre atual: “Ela é a mulher forte que conheceu a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio (Mt 2, 13-23); situações estas que não podem escapar à atenção de quem quiser dar apoio, com espírito evangélico, às energias libertadoras do homem e da sociedade. Apresentar-se-á Maria como a mulher que, com sua ação, favoreceu a fé da comunidade apostólica em Cristo e, cuja função materna, dilatou-se, vindo a assumir, no Calvário, dimensões universais” (Puebla, 301 e 302).


Pelo Decreto Ecclesiae Mater, de 03.3.2018, o Papa Francisco dispôs que, na segunda-feira - logo após a solenidade de Pentecostes, seja celebrada a Memória da Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, confirmando o que dissera Paulo VI: “Maria, mãe amorosíssima de todo o povo de Deus”. Ao gerar, em seu seio, o Filho de Deus feito carne, ofereceu ao Pai o fruto bendito que o Espírito Santo nela formara.


O título de Nossa Senhora de Pentecostes “foi dado por Deus, através de inspiração do fundador do Instituto Missionário Servos de Jesus (Salvistas), Pe. Gilberto Maria Defina sjs, em oração com amigos reunidos em 1993. A sua celebração ocorre dia 17 de setembro, dia da Fundação do Instituto. “Foi um momento em que minha alma exultou de alegria” (Autobiografia).


Recomenda-nos, D. Wilson Tadeu Jönck, scj, Arcebispo Metropolitano de Florianópolis, que nossas atividades sejam desempenhadas “com a disponibilidade de Nossa Senhora. Para Maria, todo o tempo era para servir o seu Filho Jesus. Continua a servir o seu Filho na Igreja. Caminhemos com Maria, para servir a Jesus”.  “Fazei tudo o que ele vos disser”, Ela nos ensinou no Evangelho.


No dia 14.7.2018 (sábado), após a Celebração Eucarística, presidida por nosso Capelão Pe. Valter Maurício Goedert, foi introduzida a imagem de Nossa Senhora de Pentecostes na Capela do Divino Espírito Santo da IDES.
Com o Papa Francisco, peçamos que Maria Santíssima, “que em Jesus nos deu a fonte da graça, continue a interceder por nós, seus filhos indignos e necessitados, e a socorrer a Igreja, da qual é Mãe e Rainha, com sua poderosíssima proteção”.

 

Ademar Arcângelo Cirimbelli
Ex-Provedor da IDES, 19.7.2018.

 

Entrega do Certificado de Registro da Festa do Divino da IDES como Patrimônio Cultural de Santa Catarina

09-02-2018

MENSAGEM DO PROVEDOR DA IDES, ADEMAR ARCÂNGELO CIRIMBELLI, NA SOLENIDADE DE ENTREGA, PELA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA, DO CERTIFICADO DE REGISTRO DA FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO, ORGANIZADA PELA IDES, COMO PATRIMÔNIO CULTURAL DE SANTA CATARINA.

 

Dia 08.02.2018, às 16 horas, na Capela do Divino Espírito Santo, Centro de Florianópolis.

 

- Deputado Leonel Arcângelo Pavan, Secretário Estadual de Turismo, Cultura e Esporte, representando, neste ato, o Sr. Governador do Estado, Dr. Raimundo Colombo.

- Prof. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, Presidente da Fundação Catarinense de Cultura e Secretário Geral do Conselho Estadual de Cultura.

- Padre David Antônio Coelho, Cura da Catedral e Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Desterro e Santa Catarina de Alexandria, representando Dom Wilson Tadeu Jönck, Arcebispo Metropolitano de Florianópolis.

- Dr. Marcondes Marchetti, Presidente do Conselho Estadual de Cultura e demais integrantes do Conselho que, com sua experiência e notável conhecimento, dignificam o sistema estadual de cultura deste Estado.

- Prof. Augusto César Zeferino, Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina – IHGSC.

- Liliane Janine Nizzola, Superintendente do IPHAN-SC.

- Prof. Sérgio Luiz Ferreira, Presidente da Casa dos Açores de Santa Catarina.

- Arquiteta Vanessa Maria Pereira, Diretora de Preservação do Patrimônio Cultural.

- Nelson Pamplona da Rosa, Provedor da Irmandade do Senhor Jesus dos Passos e do Imperial Hospital de Caridade de Florianópolis e demais membros da Diretoria.

- Ilustres autoridades, professores, escritores, jornalistas e demais convidados que nos honram com sua presença.

- Prezados Vice Provedor, Diretores, Conselheiros, Irmãos, Colaboradores, Voluntárias e Alunos desta Irmandade do Divino Espírito Santo.

 

Em 10 de junho de 1773, nascia a IDES, a Irmandade do Divino Espírito Santo. A sintonia com nossas origens, já é evidenciada na data de sua instituição. Nesta data, 10 de junho, celebram-se o Dia de Portugal, Luís de Camões (falecido em 1.580) e as Comunidades Portuguesas. Também é o dia dedicado ao Anjo Custódio do Reino, protetor de Portugal, o dia da Língua Portuguesa, do cidadão nacional e das Forças Armadas Portuguesas.

Assumiu, como primeiro Provedor da Irmandade, o Capitão Antônio Tavares Ferreira, para a gestão 1773-76. Era Capitão da 2ª Companhia da Vila de Nossa Senhora do Desterro, que fazia parte do Terço da Infantaria Auxiliar da Capitania da Ilha de Santa Catarina. Outros 49 Irmãos foram os instituidores. (Coincidentemente, 50 instituidores e de 50 dias é o intervalo entre a Páscoa e Pentecostes).

Recordemos que os militares foram responsáveis pela construção das Fortalezas destinadas à defesa do estratégico território nas baías norte e sul da Ilha de Santa Catarina.

Nos primeiros cem anos da Irmandade, mais de trinta dos seus Provedores eram militares de diversas patentes: Tenente-Coronel, Major, Capitão, Oficiais Subalternos (Tenente e Alferes) e Sargento.

No decorrer do tempo, as ações sociais da Irmandade se intensificam, até que, em 1910, é inaugurado, nesta Praça, o Asilo de Órfãs São Vicente de Paulo, que hoje tem a denominação de Lar São Vicente de Paulo. Nestes 108 anos de atuação, mais de 900 crianças foram encaminhadas para adoção.

Em 1977, é criado o Núcleo de Educação Infantil Girassol – CEIG. Esta creche acolhe, anualmente, quatrocentas crianças, em turno integral.

No mesmo ano, a IDES incorporou a Associação Promocional do Menor Trabalhador – Promenor, com funcionamento no Bairro da Agronômica.

Atendemos, atualmente, mais de 800 crianças, jovens, adolescentes e suas famílias, em inúmeros projetos de inclusão, capacitação e motivação, sempre incentivando o protagonismo do público beneficiado para o exercício da sua cidadania.

Alguns outros dados que dão a dimensão de nossa obra: contamos com 140 colaboradores celetistas e fornecemos, em média, 43 mil refeições por mês. Na Divina Festa, mais de trezentos voluntários prestam sua colaboração gratuita.

Como reconhecimento por nosso trabalho, fomos classificados, em 2017, pela Revista Época e pelo Instituto Doar de São Paulo, entre as 100 melhores ONGs do país.

            Estamos, agora, reunidos solenemente para receber o Certificado de Registro da Festa do Divino Espírito Santo da IDES, quando se reconhece esta manifestação como patrimônio cultural imaterial de Santa Catarina.

Esta importante conquista é coletiva. Deve ser atribuída a todos os que dirigiram, integraram e apoiaram as causas da IDES, desde sua instituição.

            Confirma-se, assim, que foram plenamente alcançados os objetivos estatutários do incentivo ao culto ao Divino, da realização e divulgação da Festa do Divino, devoção trazida pelos nossos povoadores Açorianos, que aqui chegaram a partir de 6 de janeiro de 1748 (Dia dos Reis Magos). Os súditos, seus descendentes e os demais habitantes das terras de Santa Catarina fizeram cumprir a promessa de Isabel de Aragão, Rainha Santa de Portugal, esposa do Rei Diniz, perpetuando a celebração da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

            Somos imensamente gratos à Fundação Catarinense de Cultura, na pessoa do seu Presidente, Professor Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, por esse reconhecimento, que nos sensibiliza e nos enche de alegria.

            A todos que nos honram com sua presença, nosso agradecimento.

Concluímos, evocando a força do Espírito que está dentro de nós, para que prevaleçam a Justiça, a Paz e a Solidariedade entre os povos.

Louvada seja, hoje e sempre, a Trindade Santa: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

 

                       

Obrigado!

Homenagem - Prof. Washington Luiz do Valle Pereira - Provedor emérito da IDES, um exemplo de vida.

26-01-2018

Lembra-nos Carlos Martendal, em recente artigo sobre “A Amizade”, que Jesus “comoveu-se profundamente”, diante da viúva de Naim e das irmãs de Lázaro, o amigo que deixara esta vida. E, no Livro “A Vida em Cristo”, encontramos: “Ao falar do amor de Deus e de Jesus Cristo, São Paulo sempre manifesta emoção”. Quando é sincera e brota do coração, a emoção é a resposta mais eloquente e digna do homem, perante a revelação de um grande amor ou de uma grande dor. Nenhuma palavra ou gesto pode substituí-la, pois ela é o dom mais maravilhoso. É abrir o próprio ser ao outro.


Ao convivermos com o Prof. Washington, na UFSC, desde 1967, vimos que tínhamos achado um tesouro. Foram anos e anos de aprendizado no Centro Socioeconômico, como aluno e professor, crescendo nossa admiração por seu testemunho cristão, por sua competência profissional e pela habilidade no tratamento com as pessoas, demonstrando liderança, compreensão, acolhimento. Representava a figura conciliadora, o mestre moderador, nos momentos de crise e de grandes decisões.
Quis a Providência Divina que um ex-aluno, hoje exercendo a missão de Provedor da IDES, o homenageasse, nesta celebração do 7º Dia de sua partida para a Eternidade.


Nesta Irmandade do Divino Espírito Santo, onde ingressamos por sua influência e indicação de nosso amigo comum, Prof. Lindomar Antônio Fabro, vimos de perto sua dedicação extremada com os objetivos desta Instituição, onde exerceu a Provedoria por 32 anos, no período de 1980 a 2012, além de outras funções. Mais de um terço de sua vida: dos 55 aos 87 anos! Não se conhece situação semelhante em nenhuma outra instituição de caridade.


Sabemos que, houve ocasiões, em que fez empréstimo pessoal, para dar cobertura às necessidades financeiras inadiáveis da IDES.
Teve visão de futuro e liderou o início da construção do Centro Multiuso Divino Espírito Santo, na Rua Emílio Blum nº 124, com área de 4.500m². Quando do lançamento da pedra fundamental, em 5 de julho de 2007, determinou que fosse inscrita a seguinte frase: “Após 234 anos de incansada atuação, será edificado, neste local, o símbolo do trabalho com as crianças e jovens em situação de vulnerabilidade desta Cidade de Florianópolis”. Implantou, também, novos programas sociais e consolidou os existentes, como o Centro de Educação Infantil Girassol – CEIG e a Associação PROMENOR.


Em sua profícua gestão, mais de vinte mil crianças, jovens e seus familiares foram atendidos e quase trezentas crianças do nosso Lar São Vicente de Paulo tiveram sua adoção oficializada, judicialmente.
Ouvimos, recentemente, de sua cuidadora: “Várias vezes o encontrei ajoelhado, rezando o Santo Terço”. 
Assim foi sua vida: de caridade, de oração, fazendo o bem, semeando amor.


(Abrimos um parêntesis para recordar outro Provedor que, também, deu testemunho de fé verdadeira. Trata-se do irmão Desembargador Henrique da Silva Fontes, que foi Provedor da IDES de 1929 a 1931. A construção desta Capela teve início na sua gestão, em outubro de 1931. Fonte fidedigna conta que, quando sua esposa esteve enferma, levava-lhe a Sagrada Comunhão, na residência, o amigo e Professor de filosofia Monsenhor Francisco de Sales Bianchini. Quando Monsenhor Bianchini chegava com o Corpo de Cristo, o Desembargador Fontes já havia preparado todo o caminho a ser percorrido com pétalas de rosas, tamanho era seu respeito à hóstia consagrada)!


Voltemos ao Professor Washington. Por onde ele passou, quer servindo na Catedral Metropolitana, ou como fundador do Movimento de Espiritualidade Conjugal conhecido por “Equipes de Nossa Senhora”, ou como professor pioneiro da UFSC, na área de Ciências Contábeis, ou como bancário do Banco do Brasil e técnico fundador do BADESC, ou como Irmão e Provedor da IDES, deu testemunho do Evangelho de Jesus. O lema das Equipes de Nossa Senhora é “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Professor Washington atendeu ao chamado do Mestre.


Isso que lhes relatamos, resumidamente, é voz unânime. 


Por ocasião das Bodas de Diamante do casal, o jornalista Moacir Pereira, em janeiro de 2011, assim escreveu no Diário Catarinense: “Família Valle Pereira comemorando esta semana Bodas de Diamante do Professor Washington do Valle Pereira e esposa Maria Odete Teixeira do Valle Pereira. Ele é, há anos, Provedor da Irmandade do Divino Espírito Santo, mantenedora da Creche e do Lar das Crianças. Funcionário aposentado do Banco do Brasil e da UFSC, cidadão e chefe de família exemplar, continua prestando serviços relevantes em várias instituições comunitárias e católicas da Capital e do Estado. Foi um dos fundadores do movimento Equipes de Casais”.


Do Canadá, onde se encontrava com a família, o confrade e ex-Reitor da UFSC, Prof. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, mandou-nos a seguinte mensagem: “Recebemos, com tristeza, a notícia do falecimento do Prof. Washington. Ele muito contribuiu com a Irmandade do Divino Espírito Santo, bem como com a Universidade Federal, onde, além de professor fundador, foi conselheiro no Conselho de Curadores. Peço que transmita nossas condolências à família”.


O reconhecimento da Igreja de Santa Catarina deu-se, há poucos dias, em 24 de novembro de 2017, quando, no Auditório do Colégio Catarinense, o Arcebispo Metropolitano, Dom Vilson Tadeu Jönck scj, o distinguiu com o Prêmio de Iniciativa Solidária Dom Afonso Niehues, pela contribuição à cultura da solidariedade, por seu engajamento leigo, voluntário e totalmente gratuito nas causas sociais.
O coroamento desses esforços verificou-se, também em 2017, quando a IDES foi classificada pela Revista Época e pelo Instituto Doar, em São Paulo, entre as cem melhores ONGs do País e, ao final do ano, ao ser registrada a nossa Festa do Divino, pelo Conselho Estadual de Cultura, como Patrimônio Cultural Imaterial de Santa Catarina.

Professor Washington, sabemos que está junto de Deus, que lhe reservou uma morada, na Mansão dos Justos. Um dia, nós nos reencontraremos na Casa do Pai, juntamente com nossos irmãos e amigos que já partiram e com sua santa esposa, D. Maria Odete Teixeira do Valle Pereira. 
Como disse Jó: “Eu mesmo contemplarei o Senhor, meu Deus, meus olhos o verão, e não os olhos do outro”. 
Isso tudo, porque nós temos Fé e acreditamos na Eternidade. A morte é terrena, nós somos celestiais.

Louvado seja o Senhor por nos ter dado um cidadão, um Irmão, um Provedor que foi Exemplo de Vida e, lá do Céu, intercederá por nós, em especial pela IDES – que tanto amou. 

 

Ademar Arcângelo Cirimbelli, Provedor da IDES.
Em 18 de janeiro de 2018.

 

IDES, 244 ANOS SEMEANDO AMOR

10-06-2017

A IDES completa, hoje, 10 de junho, 244 anos de existência!

Só conhecemos duas instituições, na região da Grande Florianópolis, com esta longevidade: a IDES e a nossa coirmã, a Irmandade do Senhor Jesus dos Passos, mantenedora do Imperial Hospital de Caridade.

Por graça de Deus, com intercessão do nosso Patrono, São Vicente de Paulo, e com a dedicação dos Irmãos, dos Diretores, dos Conselheiros, dos Colaboradores, dos Voluntários e dos Alunos chegamos a esta considerável marca.

Também deve ser considerada como fator deste sucesso uma gestão moderna, transparente e equilibrada. com bom clima organizacional, resultante do entendimento, da honestidade, da lealdade, da sinceridade e do respeito às normas estatutárias, à hierarquia estabelecida e à valorização das pessoas que dela fazem parte.

Desde sua instituição em 1910, a Casa Lar São Vicente de Paulo, que é um de nossos projetos, encaminhou mais de 800 crianças para adoção, continuando a receber carinho, educação e acolhida familiar. Nossos Núcleos: da Infância (CEIG e Lar São Vicente de Paulo); Arte Educação; Formação e Trabalho desenvolvem vários programas, pensando na melhoria da Sociedade e no amanhã das nossas crianças e dos nossos adolescentes. Atendemos, atualmente, mais de 700 crianças e jovens

A trajetória da IDES é exitosa porque cultivamos a gratidão e tudo fazemos com carinho e competência. Conforme nos ensinava o Imperador Cícero, "a gratidão não é somente uma virtude, é uma obrigação".

Assim, além do louvor e glória ao Senhor Nosso Deus, ao Divino Espírito Santo, pois a IDES a Ele pertence, agradecemos a todos que fizeram e fazem parte desta história de amor de mais de dois séculos e esperamos que nossa dedicação e trabalho ao próximo ultrapassem milênios, para glória do Senhor!

Mensagem do Provedor - Encerramento Divina Festa 2017

04-06-2017

- Reverendíssimo Padre David Antônio Coelho, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Desterro e Cura da Catedral Metropolitana, presidente desta Celebração Eucarística.

- Revmo. Pe. Valter Maurício Goedert, dedicado Capelão desta Irmandade.

- Senhor Festeiro Germano João Vieira e seus familiares.

- Integrantes do Cortejo Imperial.

- Estimados Vice Provedor, Conselheiros, Diretores, Irmãos e Irmãs da IDES.

- Prezados devotos do Divino Espírito Santo

 

 

A Irmandade do Divino Espírito Santo e o Festeiro, Senhor Germano João Vieira e suas filhas Nalmir Catarina Vieira Pigozzi e Neli Luzia Vieira, em primeiro lugar, louvam e agradecem ao Senhor nosso Deus pelo primeiro dom pascal que nos concedeu: o Espírito Santo.

Sabemos que todos os sacramentos são frutos do Espírito; são efeitos da ação dele. Ele é o próprio Deus em nosso coração.

 

Desde 1774, um ano após sua instituição, esta Irmandade do Divino Espírito Santo realiza esta devoção secular da Festa do Divino, introduzida em Portugal em 1296, na Vila de Alenquer, por iniciativa da Rainha Santa Isabel de Aragão, esposa do Rei Dom Dinis. A partir de 1748, os açorianos a trouxeram às terras de Santa Catarina, junto com seus sonhos, conhecimentos, religiosidade e fé.

 

A propósito, Joaquim Gomes de Oliveira e Paiva, mais conhecido por Arcipreste Paiva ou Padre Paiva, religioso, educador, jornalista, poeta e político (deputado em onze legislaturas), nascido na então Desterro, dizia que os açorianos, nossos povoadores portugueses, “eram colonos inteligentes e laboriosos”.

 

 

O culto ao Divino Espírito Santo representa a manifestação mais significativa da religiosidade e da cultura popular catarinense. Por esse motivo, propusemos, recentemente, às esferas estadual e municipal, que ela seja considerada patrimônio imaterial histórico, artístico e cultural dos florianopolitanos e dos catarinenses.

 

Neste ano, em função do comprometimento do pátio da Irmandade com obras de repaginação estrutural do imóvel de 1910, contíguo à Capela do Divino, a Festa deu ênfase aos aspectos culturais e religiosos, sem as chamadas “barraquinhas”.

 

Aqui estamos, no encerramento da Divina Festa 2017, em especial, para agradecer:

 

- ao Senhor Germano João Vieira e a seus familiares que nos honraram exercendo, com muita dedicação, devoção e caridade, a figura central do Casal Festeiro;

 

- aos organizadores da Festa, no âmbito da Irmandade; às Comissões de Espiritualidade, Cortejo e Cerimonial; de Decoração da Capela; de Infraestrutura; do Café do Divino; de Marketing e de Secretaria;

 

- aos colaboradores e voluntários;

E são incalculáveis os voluntários, geralmente anônimos, que prestam relevantes serviços à IDES. Por isso, não vamos fazer citações particularizadas.

“A alegria do Evangelho é plena, quando as pessoas saem de si, para servir. Os voluntários dão testemunho e nos ensinam como construir uma sociedade mais justa e solidária, desejada por todos nós”.

 

 

- Nossos agradecimentos, também, aos integrantes do Cortejo Imperial, a seus pais e avós, aos devotos do Divino e ao seleto grupo de cantores, que abrilhantaram este significativo acontecimento no Domingo de Pentecostes.

 

Demos, sempre, e em todo o lugar, graças a Deus!

 

Seja louvada a Trindade Santa: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

 

Muito obrigado a todos.

 

(Mensagem do Provedor da IDES,

Ademar Arcângelo Cirimbelli, no encerramento da Divina Festa 2017, no domingo, dia 4 de junho).

Divina Festa 2017

20-04-2017

CONVITE À COMUNIDADE

 

É com imensa alegria que a Irmandade do Divino Espírito Santo – IDES e o Casal Festeiro, Senhor Germano João Vieira e suas filhas Nalmir Catarina Vieira Pigozzi e Neli Luzia Vieira, convidam a todos para a , a , nos dias 1º, 2, 3 e 4 de junho, na Praça Getúlio Vargas nº 212, Centro de Florianópolis, também conhecida por “Praça dos Bombeiros”.

Neste ano, em função do comprometimento do pátio da Irmandade com obras de repaginação estrutural do imóvel de 1910, contíguo à Capela do Divino, o evento dará ênfase aos aspectos culturais e religiosos, sem as chamadas “barraquinhas”.

Desde 1774, um ano após sua instituição, a IDES realiza esta tradição secular da Festa do Divino, introduzida em Portugal em 1296, na Vila de Alenquer, por iniciativa da Rainha Santa Isabel de Aragão, esposa do Rei Dom Dinis. A partir de 1747-48, os açorianos a trouxeram às terras de Santa Catarina, junto com seus sonhos, conhecimentos, religiosidade e fé. A propósito, Arcipreste Paiva dizia que os açorianos, nossos colonizadores portugueses, “eram colonos inteligentes e laboriosos”.

O culto ao Divino Espírito Santo representa a manifestação mais significativa da cultura popular catarinense. Esta festividade é considerada patrimônio histórico, artístico e cultural em Santa Catarina, pela Lei Estadual 15.731/2012.

Contamos com sua honrosa presença na Divina Festa 2017, cuja programação detalhada você encontra aqui.

  

 

IRMANDADE DO DIVINO ESPÍRITO SANTO - IDES

Fundada em 10 de junho de 1773.

244 ANOS SEMEANDO AMOR

Divina Festa 2017

20-04-2017


A Equipe Coordenadora esteve reunida nesta tarde, nas dependências da IDES, para definir a programação da DIVINA FESTA 2017.


Também esteve presente o Imperador, Sr. Germano João Vieira, acompanhado de seu filho.
O evento priorizará a espiritualidade, com Tríduo Preparatório, nos dias 1º, 2 e 3 de junho.
A comemoração de Pentecostas se dará no dia 04 de junho (domingo), com Cortejo Imperial e solene Celebração Eucarística na Capela do Divino, na Praça Getúlio Vargas.

Missa de Inauguração - Capela do Divino

21-03-2017

Reverendíssimo Padre Valter Maurício Goedert, nosso Capelão.

Prezados Irmãos e prezadas Irmãs.

Prezados Fiéis, Beneméritos, Colaboradores e Operários.

 

“O zelo da tua Casa me consome”. O amor pela tua Casa, ó Deus, também queima dentro de nós, como fogo.

No Evangelho de São João, capítulo 2º, versículos 13 a 17, encontramos: “Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém”.

Encontrou no templo os negociantes de bois, ovelhas e pombas, e mesas dos trocadores de moedas.

Fez Ele um chicote de cordas, expulsou todos do templo, como também as ovelhas e os bois, espalhou pelo chão o dinheiro dos trocadores e derrubou as mesas.

Disse aos que vendiam as pombas: “Tirai isto daqui e não façais da casa de meu Pai uma casa de negociantes”.

Lembraram-se então os seus discípulos do que está escrito no Salmo 68, 10: “O zelo da tua casa me consome”.

E, no Evangelho de São Mateus, capítulo 21, assim está escrito: “Jesus entrou no templo e expulsou dali todos aqueles que se entregavam ao comércio. Derrubou as mesas dos cambistas e os bancos dos negociantes de pombas, e lhes disse: Está escrito: “Minha casa é uma casa de oração (Is 56,7), mas vós fizestes dela um covil de ladrões (Jr 7,11)! Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado”!

Com certeza, Jesus é o mestre do amor. A limpeza que fez no Templo não foi nenhum protesto contra o comércio. A reação de Jesus teve dois sentidos: uma ardente demonstração de amor pelos cambistas e, igualmente, pelos tementes a Deus que queriam adorá-lo. Cada coisa tem seu lugar, tem seu tempo.

“Quando ouvi isso, eu me sentei e chorei...” (Neemias 1:4). Estas palavras, escritas pelo profeta Neemias, expressaram sua tristeza com a condição deplorável de Jerusalém – a cidade sagrada. Jerusalém havia sido arrasada e os imponentes muros estavam em ruínas. A notícia partiu o coração de Neemias. Ele orou a Deus e pediu sua ajuda. Pediu e recebeu. Após 53 anos de trabalho dedicado, muita oração, e considerável oposição, Neemias e sua equipe reconstruíram os muros de Jerusalém.

Muitos outros relatos históricos poderiam ser enumerados para demonstrar a preocupação com o local sagrado, com a Casa de Deus.

Estamos comemorando a conclusão de importantes melhorias nesta Capela do Divino, cuja construção remonta aos anos de 1931 e 32, pela Construtora Berretta, família sempre pronta a servir a IDES. Elas resultaram da participação de muitos benfeitores, empresários e empregados, alguns aqui presentes, sob a coordenação sempre entusiasmada do nosso Capelão, Padre Valter.

Tudo o que fizemos foi zelar pela Casa do Senhor.

Nosso primeiro agradecimento é a Deus que nos proporcionou, nas últimas décadas, dois Capelães dedicados, sábios e santos: o saudoso Padre Paulo Bratti, que permaneceu conosco por nove anos, até sua morte em 15 de maio de 1982, e o Padre Valter Goedert, que o sucedeu.

Nosso reconhecimento estende-se aos benfeitores, senhor Germano João Vieira, à Família Koerich (através dos generosos irmãos Walter e Toninho), a todo o grupo de Voluntárias da IDES, à irmã Izabel Carolina Martins Campos, às irmãs Salete Aurélia Cirimbelli Búrigo e Maria Bernardette Cirimbelli da Luz, ao irmão Noair Otávio da Silva, aos Diáconos e restauradores Nery Alfredo de Freitas (de Palhoça) e Alcides Francisco Folster (de Santo Amaro da Imperatriz), respectivamente carpinteiro e empreiteiro de mão de obra; ao cantor e especialista de som Jairison Morais; ao senhor José Rogério Kons, conhecido por “Rogério do assoalho”; aos empresários Ênio Goedert Pereira e Ademir Pereira; aos pintores; a todos os trabalhadores que atuaram nas obras e nos serviços; aos nossos dedicados Colaboradores da Irmandade do Divino Espírito Santo: Cibele, Fátima Aparecida, Rafaela, Eurides, Lucas, Rute, Iranete, Terezinha, Vilma, Sheila, Fabrícia, Ângela, Tânia, Márcio, Pábio, Sandro, Ailton, Alan e Rogério e sua esposa Kátia Regina, e a muitos outros que não quiseram ser identificados.

Agradecemos a presença dos representantes da CASACOR Santa Catarina, titulares da Empresa “SC Premium Promotora de Eventos Ltda.”, senhora Francis Nessi Maurer Bernardo e senhor Luiz Carlos Santafé Bernardo. De público, lhes fazemos um veemente pedido para que incluam, no evento de 2017, a restauração das esquadrias de madeira e a pintura externa desta Capela, completando as melhorias necessárias.

Nós fizemos o possível e o Divino Espírito Santo sempre esteve conosco nos maiores desafios.

 

 

Louvado seja o Senhor!

 

Nosso muito obrigado a todos.

 

 

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­

 

____________________________________________________________

Mensagem do Provedor da Irmandade do Divino Espírito Santo - IDES, Ademar Arcângelo Cirimbelli, na Celebração Eucarística de entrega das melhorias da Capela do Divino Espírito Santo, no dia 18/3/2017.

Relíquia(s) de Santa Teresinha do Menino Jesus

18-03-2017

Com muita alegria, participamos a toda a Comunidade da Irmandade do Divino Espírito Santo e aos devotos de Santa Teresinha do Menino Jesus que, nos recentes trabalhos de melhorias da Capela do Divino Espírito Santo, localizada na Praça Getúlio Vargas, Centro, nesta Capital, foi encontrado, no interior do altar que lhe é dedicado, um relicário que guarda objeto pessoal desta Santa, considerada por S. Pio X como “a maior santa dos temos atuais”. E, em 1997, o S. João Paulo II proclamou-a doutora da Igreja.

Nascida na França, em 02/01/1873, faleceu, com apenas 24 anos, em 1º/10/1897.

Fez parte da Ordem do Carmelo.

Notabilizou-se por nos ensinar o caminho da simplicidade. As pequenas coisas podem nos fazer santos.

Certamente, haveremos de comemorar o evento, de termos encontrado esse receptáculo com a(s) relíquia(s) -relicário, com uma programação especial, para a qual contamos com a colaboração do Grupo de Devotos de Santa Teresinha do Menino Jesus, que se reúne, mensalmente, na nossa Capela do Divino.

 

 Florianópolis, 18 de março de 2017.

 

Ademar Arcângelo Cirimbelli

Provedor da IDES

Encerramento do Ciclo do Divino

27-09-2016

O último evento do Ciclo do Divino aconteceu no domingo (25) na comunidade de Canasvieiras. Estiveram presentes os Cortejos Imperiais das 14 comunidades de Florianópolis que realizam as tradicionais Festas do Divino. A Irmandade do Divino Espírito Santo esteve representada pelo seu Provedor Ademar Arcângelo Cirimbelli e pela Diretora Izabel Carolina Martins.

Atendendo a Lei Municipal n°8010/2009 que instituiu o Dia de Abertura das Festividades do Divino em Florianópolis, a Fundação Franklin Cascaes apoia e divulga o calendário festivo das comunidades, incluindo a programação de abertura e de encerramento do Ciclo do Divino.

A IDES fez parte do início do Ciclo do Divino com a Divina Festa que aconteceu no período de 12 a 15 de maio.  Desde então, foram realizadas as festas de cada comunidade por toda a Grande Florianópolis  que se encerraram com a última Festa do Divino na comunidade de Canasvieiras.

 

Ingresso de Novos Irmãos e Missa em Homenagem a São Vicente de Paulo

26-09-2016

 No último sábado, dia 24 de setembro,  a Irmandade do Divino Espírito Santo – IDES realizou sua tradicional missa em homenagem ao nosso Patrono São Vicente de Paulo.  Nesta data, tão especial para a IDES, também realizamos o ingresso dos Novos Irmãos. Sendo eles:

  • Francisco Tridapalli e Maria Wagenfuhr Tridapalli

  • Luiz Mário Machado e Maria Teresa Azevedo

  • Paulo Dalzotto e Sandra Regina Clemete Dalzotto

  • Ivan dos Santos e Ivete Kretzer dos Santos

  • Luiz Mario Bratti

A Cerimônia de ingresso dos irmãos conta com uma vestimenta especial para este momento. As opas (vestimenta ou manta) têm origem na idade média, quando surgiram as Confrarias, as Ordens Medicantes e Militares, para confraternizar seus confrades. A cor da Opa geralmente está ligada ao Padroeiro ou uma de suas características. Na IDES a cor vermelha lembra o Amor Divino, além de ser usada também pela liturgia latina em festas como a de Pentecostes.

Os novos irmãos assumem o compromisso de se integrarem às atividades desenvolvidas pela IDES, exercendo trabalho voluntário, se possível, e conforme suas possibilidades, contribuírem financeiramente com uma taxa anual que será revertida para os projetos sociais da irmandade. 

Café do Divino - Tradicional pré-evento da Festa do Divino da Irmandade do Divino Espíriti Santo

17-03-2016

Dia 16 de abril (sábado), acontece mais um tradicional Café do Divino da Irmandade do Divino Espírito Santo. O Café do Divino marca o início dos preparativos para a Divina Festa, que acontece este ano de 12 a 15 de maio. Todo o valor arrecadado será revertido para manutenção de nossos projetos socioeducativos junto às crianças e aos adolescentes. 

Os Convites podem ser adquiridos na IDES.

Basta entrar em contato com Joseane pelo telefone: 3224-5008.

Please reload

Facebook

Atuamos de forma compatível  à agenda de desenvolvimento sustentável da ONU, em especial
os ODS nº 4, 8, 10 e 16

 IDES: Rua Emílio Blum, 124 - Centro - Florianópolis - Cep. 88020-010 - Telefone: (48) 3224-5008 - E-mail: contato@ides-sc.org.br

© 2016 / 2020  Feito com 🧡 por Marketing IDES - Irmandade do Divino Espírito Santo 

MODS-SC-Selo 2020-PJ-alta.png
8.jpg
ODS 10.jpg
16.jpg