A ALEGRIA DE SERVIR



(Equipe de colaboradores, voluntários e beneficiários da IDES)

A partida para a Eternidade, em 27/4/2017, da Sra. Alma Rieg Amorim, conhecida por D. Alminha, aos 79 anos, dos quais 55 dedicados ao Voluntariado, orientando gestantes, coordenando e fazendo enxovais para crianças, motivou-nos a abordar o belíssimo dom de servir, que tem o amor como fundamento.

Ensina-nos Martin Gray, que “O amor nunca é obrigação. É alegria, liberdade, força. O amor mata a angústia. Onde o amor não existe, surgem angústia e tédio. O amor é disposição. O amor é entusiasmo. O amor é risco. Não amam e não são amados os que economizam e poupam seus sentimentos".

O que leva as pessoas a abrirem mão do descanso, de viagens, lazer, conforto, aconchego da família e se dedicarem aos outros?

Parece que se inspiram na lição de Ayrton Senna: “Quando penso que cheguei ao meu limite, descubro que tenho forças para ir além”. Ou, em Maria, Mãe de Jesus: “Disse então Maria: Eis aqui a Serva do Senhor” (Lc 1, 38). Também em Lucas, conhecemos a Festa da Visitação, assim chamada a visita de Maria à sua prima Isabel e a seu marido Zacarias, para estar com eles até que João Batista nascesse, cena representada por renomados artistas.


(Provedor em reunião com algumas Voluntárias da IDES)

O Voluntariado é uma “atividade não remunerada prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mu